Os desafios nas entrevistas para quem está fora do mercado de trabalho

Entrevistas em geral já geram grande ansiedade no candidato. Quando o candidato está fora do mercado a pressão é ainda maior, uma vez que o resultado da entrevista pode significar uma mudança positiva na vida e na carreira da pessoa que tem a oportunidade de voltar ao mercado e garantir sua saúde financeira. Perguntas acerca do desemprego tais como “Por que você saiu do seu último emprego?” ou “O quê você tem feito nesse período?” são capazes de aumentar ainda mais a ansiedade do candidato ao ponto de comprometer sua performance na entrevista, já que há uma crença no mercado (principalmente no Brasil) que candidatos empregados são mais atraentes que os desempregados. 

Nesse post, o Carreira e Você dará algumas dicas para que você se mantenha confiante mesmo nas perguntas desagradáveis e foque no que realmente importa: suas qualificações e experiências e como elas se alinham à oportunidade e cultura da empresa para a qual você está entrevistando.

Energia positiva: pode parecer um clichê, mas não é. Em situações normais já é esperado que você tenha uma atitude positiva, um firme aperto de mãos e um bom contato de olhos. Quando busca uma recolocação você tem que se esforçar muito mais em mostrar sua energia e vontade de trabalhar. É normal que as pessoas se deixem abater pelo desemprego e assim como as empresas têm a preocupação de que uma pessoa que passou alguns meses fora do mercado esteja desanimada e leve mais tempo para se adaptar à nova função que uma pessoa que esteja no mercado e em ritmo de trabalho. Logo, você deve se empenhar em demonstrar até mais energia que seus concorrentes, assim você também mostra ao entrevistador que seu desemprego é circunstancial e que você não se acomodou.

 

Conte a melhor versão da sua história: uma história sempre pode ser contada de várias formas. Quando for questionado sobre a saída de sua última empresa,escolha a versão mais direta, que diminua a possibilidade de outras questões e, se possível, ainda te valorize como profissional. Um exemplo fictício: você tinha interesse em mudar de área na empresa e seu chefe sabia disso. Você não conseguiu a oportunidade num curto prazo e empresa passou por uma reestruturação. Você foi desligado já que seu gerente sabia que iria te perder de qualquer forma. Nesse caso, você pode pular os detalhes e ir direto para a reestruturação ou corre o risco de passar grande parte da entrevista explicando porque você queria mudar de área e os trâmites internos da empresa para que isso não acontecesse. Nunca minta, pois a empresa provavelmente irá consultar referências sobre você com seus antigos empregadores.

 

Fale apenas o necessário: atenha-se a responder às perguntas do entrevistador da forma mais direta, objetiva e segura possível e ponto. Se ficar um vácuo, não tente preenchê-lo, principalmente no que tange à perguntas relacionadas ao seu desemprego, pois as chances de você se enrolar são grandes. No fundo, o entrevistador quer saber se você saiu da última empresa porque você fez algo errado, teve problemas de performance ou de relacionamento e se você estava trabalhando para uma empresa que não tem o seu perfil. Há chances de que alguma dessas coisas tenha acontecido, mas você tem que mostrar para o entrevistador que você é um ótimo profissional, com um grande potencial e se você estiver no lugar certo fará grandes contribuições para a empresa. E a empresa dele pode ser o lugar certo para você!

 

Conte suas atividades durante o desemprego com uma visão de negócios: como disse o headhunter Daniel Faria na sua entrevista para o Carreira e Você é recomendável que um candidato desempregado encontre atividades, profissionais ou não, que ocupe seu tempo. Isso diz muito sobre o perfil do profissional, que deve demonstrar iniciativa durante o desemprego. Quando for contar sobre estas atividades em uma entrevista, dê uma visão de negócios, assim você demonstra que mesmo fora do mercado, você continua usando suas habilidades técnicas e até desenvolvendo novas. Por exemplo, ao invés de mencionar somente que você é síndico do seu prédio, diga que você administra o condomínio de um prédio de x apartamentos, num montante de R$ y por mês. Entre suas funções estariam planejamento e administração de fluxo de caixa, controle de contas a pagar e a receber, relacionamento com clientes (os moradores) e negociação com fornecedores (todas as empresas que prestam serviço para o prédio, desde as empresas de água e luz até as que são contratadas para limpeza e manutenção). Se você teve algum feito importante durante este período, também mencione na entrevista.

 

Fique calmo e confiante: Se você chegou até a entrevista é porque seu CV foi avaliado e você tem as habilidades técnicas necessárias para desempenhar o trabalho. O entrevistador sabe que você está desempregado e escolheu te entrevistar. Responda às perguntas relativas ao seu desemprego de forma objetiva e confiante e foque nas suas qualidades e aptidões e no seu interesse pela empresa e posição.

Além destas dicas, tente adaptar sua história de acordo com a audiência. Empresas dinâmicas e empreendedoras geralmente gostam de ouvir que você assumiu o risco de dar tempo na carreira para viajar pelo mundo, enquanto empresas mais conservadoras prefeririam ouvir que você foi desligado (por alguma razão que não esteja ligada à sua competência) e agora busca novas oportunidades.

 Fonte: www.carreiraevoce.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.