6 aprendizados para a carreira durante o isolamento social

“A oportunidade de evoluir como pessoa e como profissional é ainda maior em momentos de crise”

A disseminação mundial do coronavírus mudou drasticamente a rotina de trabalho e as relações interpessoais. Com o distanciamento social, muitos executivos passaram a vivenciar novas experiências e superar enormes desafios que a situação atual exige.

Para Lucas Oggiam, diretor da Michael Page, consultoria especializada no recrutamento de alta e média gerencia, entre o aumento do cuidado com a saúde e as readaptações de modelos e formas de trabalho, também é importante reconhecer que períodos de crise podem nos fazer enxergar “fora da caixa” e alcançar novas oportunidades. “De maneira geral, todas as pessoas e empresas estão sendo afetadas de alguma forma em decorrência da pandemia do COVID-19. Mas, em meio a tanta preocupação, também estamos notando atitudes positivas, como o surgimento de aprendizados que darão um novo impulso ao nosso futuro como profissionais, em um mercado que nos proporciona cada vez mais desafios”, observa.

De acordo com o consultor, situações atípicas podem nos mostrar a importância de atos básicos. Por isso, a “cultura do minimalismo” que estamos vivenciando, com privações e necessidades de adaptação no meio corporativo, pode nos ajudar a enxergar maneiras de progredir em nossas carreiras.

Confira abaixo os seis aprendizados mais importantes – até o momento – durante o isolamento social, proveniente da pandemia de coronavírus:

1. Enxergamos oportunidades de descobrir coisas novas

É comum estarmos tão ocupados no dia a dia que não conseguimos arrumar tempo ou disposição para aprendermos algo novo. Mas, nas últimas semanas, todos precisaram descobrir novidades, como novas formas de organização para o trabalho remoto, como estabelecer canais de comunicação ativos e claros, novos aprendizados sobre tecnologias, outros modelos de liderança e até a fazer pausas para cuidar da saúde física e mental, algo essencial, que tendemos a deixar de lado em situações que não fogem à normalidade.

2. As políticas de home office progrediram

Grande parte das empresas ainda não possui uma política ou ao menos infraestrutura para oferecer o home office aos seus funcionários. No entanto, nota-se que em aproximadamente duas semanas, fizemos mais progresso do que nos últimos 10 anos em tais questões. Os profissionais estão se adaptando ao novo modelo de trabalho e descobrindo novas ferramentas e canais de comunicação. Os próximos passos serão a evolução comportamental e a criação de uma cultura de home office para que os colaboradores mantenham seus rendimentos trabalhando fora dos escritórios.

3. Estamos criando uma cultura de desempenho e responsabilidade

O maior receio das empresas no Brasil quanto ao home office é que seus profissionais não tenham disciplina, foco, objetividade e responsabilidade o suficiente para que a política seja difundida no mundo corporativo. Agora, a cultura de desempenho e responsabilidade terá de avançar o mais rápido possível, caso contrário, os resultados das empresas não serão positivos e, naturalmente, os empregos estarão em xeque.

4. As gestões a distância estão progredindo

Muitos gestores estão acostumados a lidar olho a olho com seus funcionários, têm postura centralizadora e dependem de contato direto para resolver problemas e engajar times. Agora é preciso criar um planejamento maior e manter uma política clara de alinhamentos. A gestão por indicadores de desempenho, muito defendida por consultorias estratégicas em geral, torna-se bem-vinda para apoiar a análise de resultados e dar suporte para decisões assertivas das lideranças. Estamos incorporando novos procedimentos de trabalho, que tendem a contribuir para o progresso das empresas.

5. Estamos aprendendo a gerir melhor os recursos

Considerando que passaremos por um período em que alguns funcionários terão desempenhos melhores trabalhando remotamente do que presencialmente, e que as lideranças irão notar que é possível implantar a cultura permanentemente, vale a reflexão: precisamos de tanto espaço corporativo em nossas empresas? Estar preparado e investir em boa infraestrutura para que colaboradores realizem suas atividades em home office pode ser uma opção mais econômica, lucrativa e, inclusive, tende a reter talentos.

6. Otimismo x Pessimismo

A oportunidade de evoluir como pessoa e como profissional é ainda maior em momentos de crise. Tudo depende do filtro por meio do qual enxergamos a situação. Ser empático, ter respeito e dar suporte aos que estão passando por situações mais delicadas do que a nossa é o mínimo que podemos fazer, mas sem esquecer de que uma postura otimista é essencial para passar por este momento, tanto física, quanto psicologicamente.

Fonte: https://administradores.com.br/

Recolocação Profissional em meio a Covid-19

Estar atento ao que o mercado oferece e estreitar bons relacionamentos

Quem diria que um dia teríamos que vivenciar está situação? Pois bem, estamos atualizados 24horas por dia sobre o Covid-19 e preocupados a cada dia que passa. Muitos profissionais estão se questionando como ficará o mercado de trabalho neste período.

Todos terão que passar por este obstáculo e trazer mais resultados para as empresas. Teremos que redobrar nossas metas e objetivos e não deixarmos de buscar uma oportunidade no mercado.

Sim existem muitas incertezas, algumas vagas irão congelar, porém o que estamos procurando fazer é orientar as empresas que façam suas entrevistas por plataformas digitais, como por exemplo, o Skype e o telefone, ou até mesmo por alguma ferramenta que a empresa utilize, o que na verdade muitas organizações já estavam praticando.

Empresas estão contratando profissionais remotamente sem ao menos terem pisado dentro da empresa.

Agora é a hora de você ter um bom relacionamento com seu Consultor de Carreiras, Jobhunter, Coach e Headhunter. Manter está parceria pode sim ser um fator decisivo na hora de buscar uma boa recolocação profissional. Será uma construção e uma consolidação para a sua carreira, pois eles que irão lhe representar em meio ao cenário atual.

Fonte: https://administradores.com.br/

Quarentena. Vamos estudar?

Em época de ficar em casa, que tal aproveitar para se atualizar?

Nas últimas semanas, o mundo conheceu o novo Coronavírus, levando o mundo a tomar diversas medidas de precaução com o intuito de frear a disseminação do vírus.

Nossos hábitos foram sendo mudados aos poucos e tanto pessoas como empresas, estão se adaptando a esse momento.

A orientação das autoridades de saúde é ficar em casa. Então o que fazer no momento em que o home office termina? Nesse momento de quarentena, que tal aproveitar para se atualizar e manter a mente ocupada?

Segue uma lista com cursos online em diversas áreas:

– FGV Online https://www5.fgv.br/fgvonline/

Em seu site, é possível ter acesso a diversos cursos gratuitos como exemplo para organizar o orçamento familiar, como planejar a aposentadoria, como gastar conscientemente dentre outros.

– ENAP – Escola Nacional de Administração Pública https://www.escolavirtual.gov.br/

A ENAP oferece cursos a distância em diferentes áreas temáticas e para diferentes públicos. A plataforma pode ser acessada através de computadores, tablets ou smartphones.

São oferecidos cursos como de Gestão da Estratégia com BSC (Balanced, Scorecard), Introdução à Libras, Introdução à Gestão de Processos, entre outros.

– SENAC EAD https://www.ead.senac.br/

O Senac EAD apresenta uma vasta lista de cursos online, desde curta duração que são gratuitos, até cursos de pós graduação.

– UDEMI https://www.udemy.com/

A Udemy é uma plataforma que conta com cursos em diversas áreas.

– iPED Instituto Politécnico de Ensino a Distância https://www.iped.com.br/

Fundada em 2001, o iPED trás mais de 1000 opções de cursos, em 55 áreas.

Esses são apenas uma pequena relação de algumas plataformas que disponibilizam cursos online.

Seja realizando cursos, atividades manuais, exercícios, assistindo aquele filme ou série, é importante nesse momento, seguir as orientações das agências de saúde, ficar em casa em casa e sair apenas em extrema necessidade.

Juntos, vamos passar por esse momento.

E lembre-se FIQUE EM CASA!

Fonte: administradores.com.br

Trabalho remoto durante a pandemia: líderes também devem se preparar

“Os que ainda não estão acostumados a trabalhar fora de um escritório enfrentam a necessidade de uma abordagem diferente para cumprir suas responsabilidades”

O impacto da pandemia do coronavírus em economias e sociedades ao redor do mundo é inegável. A rápida disseminação do vírus faz com que organizações tenham que se adaptar a novas realidades para proteger a saúde e a segurança de sua força de trabalho; até os chefes mais conservadores estão repensando o modelo de trabalho de suas equipes.

Muitas empresas já estabeleceram um novo arranjo, permitindo que todos trabalhem de casa; escolas fechadas obrigam pais a encontrar alternativas para o cuidado das crianças.

Os que ainda não estão acostumados a trabalhar fora de um escritório enfrentam a necessidade de uma abordagem diferente para cumprir suas responsabilidades; quem já trabalhava remotamente, por outro lado, tem a chance de mostrar como se faz – ou descobrir que esse modelo não é para todos.

Durante esse período de risco e incerteza, manter o senso de comprometimento e satisfação no trabalho dos funcionários exigirá um esforço adicional.

Para líderes

Estabeleça prioridades e atribua papéis claros

Sem a equipe reunida no mesmo espaço físico, torna-se ainda mais importante para todos saber o que é esperado de cada um – quais tarefas realizar e a quem recorrer para obter informações adicionais. Comunicação eficiente e troca de informações constante evitarão esforços duplicados e falhas operacionais;

Crie uma rotina para a equipe

Reuniões de equipe periódicas, bem como conversas individuais com reportes diretos devem ser realizadas de forma consistente para permitir acompanhar o progresso de todos. Cuide da própria saúde, e manifeste preocupação genuína com a situação pessoal de cada integrante da equipe em vista do vírus (e seja grato por a videoconferência ser facilmente disponível na maior parte do mundo!);

Responsabilize a equipe

Depois de atribuir uma parcela equitativa de tarefas a cada membro do time, assegure-se de que as metas sejam cumpridas no tempo esperado;

Confie na equipe

Supõe-se que você trabalha com adultos, profissionais capazes e responsáveis, portanto, vigiá-los a cada minuto do dia não fará com que produzam mais. Práticas como pedir aos funcionários que mantenham a webcam ligada durante todo o horário de trabalho são infantis e abusivas. Se você não confia na ética de trabalho dos membros da sua equipe, ou desconfia que estejam tirando proveito da situação atual, não deveria tê-los contratado;

Respeite o tempo dos outros

Evite enviar e-mails, mensagens de IM ou WhatsApp fora do horário de trabalho designado a cada um: seus liderados provavelmente se sentirão obrigados a responder, criando estresse injustificado e interrompendo a nova rotina. Para manter a sua própria sanidade e a do time, a menos que seja realmente necessário obter uma resposta naquele momento, agende a comunicação para o próximo dia útil.

Para liderados

Assegure-se de ter o que precisa para trabalhar de casa

Ao iniciar uma rotina de trabalho remoto, cheque o equipamento à sua disposição e comunique possíveis necessidades em tempo hábil – não espere até que todo o pessoal de TI seja mandado para casa antes de fazê-lo;

Mantenha um espaço de trabalho separado

Mesmo que você não tenha um home office propriamente dito, e esteja trabalhando com o laptop em cima da bancada da cozinha, manter-se isolado da rotina da casa, mesmo que seja por alguns intervalos de tempo, é essencial para garantir o foco e o respeito aos colegas. Ao participar de videoconferências, use fones de ouvido e esforce-se para reduzir o ruído de fundo: ninguém quer ouvir seu cachorro latindo ou seu liquidificador preparando uma vitamina;

Mantenha sua aparência profissional

Não é porque você está em casa que deve ficar de pijama o dia todo! Manter-se asseado e arrumado em frente à câmera transmite a mensagem de que está realmente comprometido com o trabalho. E mesmo quando ninguém está vendo você em vídeo, estar vestido como no escritório te ajudará a entrar no foco;

Tente criar uma rotina diária

Se outras pessoas estiverem em casa durante o seu horário de trabalho, especialmente crianças, reserve um tempo para cuidar delas, mas bloqueie o tempo necessário para reuniões e tarefas que exigem mais concentração, deixando claro que não deve ser incomodado durante esses períodos;

Faça jus à confiança de seu líder e colegas

Cumpra as horas e tarefas que lhe foram atribuídas, e não tire proveito do trabalho remoto para assistir todas as séries atrasadas enquanto a equipe está contando com você. Caso adoeça ou precise cuidar de alguém doente, seja claro com a equipe a respeito;

Cuide-se

Mantenha os horários de refeições regulares, hidrate-se e levante-se várias vezes ao dia: manter hábitos saudáveis​​te ajudará a voltar à rotina antiga quando chegar a hora.

Para todos

Não utilize o e-mail como único meio de comunicação

Interaja com colegas e clientes por outros meios, demonstrando seu comprometimento e o comportamento que as pessoas estão acostumadas de você – atitudes que nem sempre podem ser transmitidas por escrito;

Mantenha a civilidade

Não use o fato de não estar no mesmo espaço físico para dizer coisas que você não diria cara a cara;

Não seja indiscreto

Investigar o estado de saúde de cada colega (mesmo eletronicamente) é inapropriado e pode chegar a ser ilícito. Deixe que a empresa e as autoridades de saúde façam o trabalho delas: a legislação determina as regras de notificação de funcionários caso alguém do time tenha sido infectado; mantenha-se atento às informações publicamente disponíveis;

Estes são tempos difíceis para todos nós. Manter o respeito e o bom senso será de fundamental importância para preservar as relações profissionais e mitigar perdas.

* Viviane Vicente é Consultora de Competência Cultural e Fundadora da Rispetto Consulting – uma empresa de consultoria projetada para ajudar indivíduos e organizações a navegar no mundo globalizado e aprimorar seu potencial de liderança.

Fonte: administradores.com.br

Saiba como alavancar sua vida e carreira em 2020 em 21 passos

Sobre aquela lista de planos para 2020!

Afinal, ela já avançou ou nem saiu do papel?

Ainda estamos nos primeiros meses do ano, mas, para quem quer cumprir as metas estabelecidas, a hora é agora.

E a primeira pergunta é: você sabe onde quer estar daqui a 10 anos? Então, movimente-se.

A ação é um dos fatores que determina o sucesso.

Neste artigo ensino algumas estratégias aos profissionais que almejam alavancar a vida, carreira ou o negócio em 2020, trazendo mais visibilidade, autoridade para a marca, reconhecimento de mercado e aumento de resultados financeiros.

Se você busca alguma estratégia para não se “perder no meio do caminho”, além de se destacar em meio aos demais profissionais, confira as dicas.

“A busca pelo conhecimento é essencial nesse processo de planejamento e alavancagem de carreira.

Investir em formações e capacitações ainda é um diferencial. E hoje temos muitos cursos online de alto nível por um preço justo”.

21 passos e ações estratégicas para um planejamento de vida e carreira eficaz em 2020

01 – O primeiro passo, conforme mencionado acima, é saber onde você quer estar daqui a 10 anos. Também é possível definir metas para daqui a um ou cinco anos.

02 – Saiba quanto você quer ganhar por mês e por ano daqui a 10 anos.

03 – Identifique claramente qual é o seu propósito(missão) de vida, carreira e negócio.

04 – Identifique no mercado as oportunidades viáveis para sua carreira ou negócio (liste pelo menos 10 oportunidades), para poder aproveitar as mesmas.

05 – Visualize no mercado no mínimo 10 ameaças para a sua carreira ou negócio, para poder se defender das mesmas.

06 – Identifique internamente quais são suas forças e seus pontos fortes, liste pelo menos 10, e determine o que fazer com cada um deles (e quando!), potencializando as mesmas.

07 – Reconheça as suas fraquezas e pontos fracos. Liste os dez principais e coloque o que vai fazer para corrigir cada um deles (com data estipulada).

08 – Para atitude de ação: corrigir as fraquezas, potencializar as forças, aproveitando as oportunidades e se defendendo das ameças.

09 – Identifique os seus produtos e serviços, e quais os seus valores agregados.

10 – Escolha uma estratégia para se diferenciar no mercado como profissional e como negócio. Evite estar na “manada”.

11 – Tenha clareza de qual a persona do seu cliente. Quem vai adquirir o seu produto, serviço ou solução?

12 – Uma vez identificado o seu produto, serviço, estratégia de diferenciação e público ideal, dê um valor aos seus produtos e serviços – valor, não preço. Quando o cliente sabe o valor do seu currículo, serviço ou produto, ele paga a mais por isso, e você sai da guerra de preços, que é ‘matadora’.

13 – Comunique-se! Não adianta ser o melhor profissional e desconhecido do mercado. Não adianta ter o melhor serviço, mas o produto não ter reconhecimento. Vale a máxima: “quem não é visto, não é lembrado”.

14 – Saiba utilizar as redes sociais: tenha um site e um blog para publicar seus artigos e conte sobre eles no LinkedIn e LinkedIn Company Page, use um perfil de negócios do Facebook e o Instagram para Negócios.

15 – É muito válido cultivar o networking físico, além da comunicação virtual. Essa troca pessoal é extremamente positiva para a carreira e os negócios.

16 – Faça alianças com profissionais e empresas em que a máxima é o ganha-ganha, e alavanque a sua carreira ou negócio.

17 – Coloque tudo isso em um plano de ação de curto prazo (um ano), médio prazo (dois anos) e longo prazo (daqui a 10 anos). Coloque nele seus objetivos e metas, mas lembre-se de acompanhá-los mensalmente.

18 – Cuide da sua saúde física e mental para ir mais longe.

19 – Nunca esqueça de usar a maior das estratégias de ação – a velha fórmula para sair da zona de conforto e agir – o conhecido TBC, isto é, ‘tirar a bunda da cadeira’.

20 – Persista e não se autossabote, independentemente dos percalços que possam surgir.

21 – Só pare após atingir o objetivo.

E aí, mãos a obra!

Sucesso depende apenas do que você vai fazer para alcançar o mesmo!

Gratidão pela leitura! Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário!

Fonte: https://administradores.com.br/

A difícil tarefa de construir e realizar metas: como fazer?

“A maior dor dos empresários é a procrastinação. Dar o primeiro passo é o começo dessa sequência”

Agora que o ano começou efetivamente, é tempo de literalmente produzir para observar planos e projetos sendo realizados. Para algumas coisas, esse processo é simples, prático e já bem habitual de seu dia a dia e de sua empresa. Mas para novas metas e sonhos, como construir um cronograma alcançável?

Algumas dicas sempre estarão presentes nesse assunto. Independente de ser alguém iniciante na área ou se já é um gestor experiente, é importante pontuar a necessidade de alinhar metas, objetivos e a melhor maneira de concretizá-los.

A minha primeira dica é conhecimento e conteúdo: o que eu quero, como eu quero e o caminho para isso. Aquelas perguntinhas famosas do lead podem ser facilmente aplicadas nessa etapa: o que, como, onde, porque, quem, quando. Não basta apenas ter um sonho, é preciso entender como esse sonho pode ser construído e um caminho a percorrer porque muitas vezes os obstáculos não vão depender única e exclusivamente da gente e sim de outros fatores e aspectos.

A partir disso, criar um planejamento viável e por fim colocar prazo. Sem um deadline formal, é quase possível que nada aconteça. Pode ser, ainda, que nesse processo tenhamos que lidar com frustrações (por não conseguir exatamente o que queremos) e pra evitar isso é fundamental avaliar o que é a curto, médio e longo prazo e se inteirar de cada etapa.

Investir na equipe é outra dica. Dedicar no pessoal com a capacitação para que eles entendam o seu negócio, apaixonem-se pelo seu negócio, sejam fãs da sua empresa, da sua missão e valores e transmitam isso para o cliente. E depois disso investir no seu cliente, cumprindo a regra de criar relacionamento e laços para que ele seja sempre fiel.

A maior dor dos empresários é a procrastinação. Dar o primeiro passo é o começo dessa sequência. Algumas dicas práticas ajudam com isso, como por exemplo ter organização de seus dias e horários e ter isso viável, seja em aplicativos, num planner ou até num board, onde fique à vista. Aprenda a delegar funções para não acumular tarefas (por isso a importância de investir na equipe). A sobrecarga é nosso maior inimigo. Dissolva-se.

Fonte: https://administradores.com.br/

Você sabia?

Metade das mulheres perdem o trabalho até 2 anos após se tornarem mães.

Segundo o IBGE, somos a maioria com nível superior e/ou pós-graduação. A nossa ascensão no mercado de trabalho é muito boa, até o momento que a gente decide ser mãe.😒⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Pode não ter acontecido com você, mas certamente aconteceu com alguma parente, amiga ou vizinha.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Uma pesquisa da FGV identificou que o desemprego inicia imediatamente após o período de proteção garantido pela licença-maternidade (4 meses). Já depois de 2 anos, metade das mulheres que tiram a licença está fora do mercado de trabalho, um padrão que se perpetua até o 4º ano pós-afastamento.⠀⠀

A maior parte das saídas do mercado de trabalho se dá sem justa causa e por iniciativa do empregador. No entanto, os efeitos são bastante heterogêneos e dependem da educação da mãe: trabalhadoras com maior escolaridade apresentam queda de emprego de 35% um ano após o início da licença, enquanto a queda é de 51% para as mulheres com nível educacional mais baixo.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Algumas empresas vêm possibilitando às colaboradoras estenderem a licença maternidade por mais dois meses. Para essas, é maior a probabilidade de continuarem empregadas seis meses após a licença, mas esta vantagem é reduzida a zero um ano depois.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Este foi o primeiro estudo sobre licença maternidade com tal riqueza de informações sobre a trajetória das trabalhadoras em um país em desenvolvimento e mostra que o mercado de trabalho no Brasil é diferente do existente nas economias desenvolvidas em termos de desigualdade salarial, discriminação e informalidade.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O estudo indica que a licença de 120 dias não é capaz de reter as mães no mercado de trabalho e mostra que políticas como a expansão da oferta de creches e pré-escolas são mais eficazes para atingir esse objetivo, especialmente para proteger as mulheres com menor nível educacional.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Como se não bastasse a cobrança social pela pluralidade de papéis e, em muito casos, a falta de rede de apoio, tem mais essa pra gente lidar.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Eu só queria dizer para todas as manas que se enquadram nessas estatísticas: #juntassomosmais

Muitas de nós encontra conforto, realização e alternativa de gerar renda no empreendedorismo. Não é a toa o crescimento de campanhas como Compre das mães, mãe ajuda mãe. Conectadas, unidas e em prol de um objetivo comum de conquistar mais espaço na sociedade, seguimos abrindo caminho em áreas, inclusive da tecnologia onde ainda somos minoria.

O empreendedorismo digital tem se mostrado uma excelente alternativa para as mães que desejam empreender. Oferecendo a rotina flexível e o cenário de protagonismo que a gente precisava.

Eu queria empreender, queria muito mesmo… mas não queria só empreender e ponto. Eu até tentei focar no empreendedorismo digital voltado à área de RH, orientação e planejamento de carreira, devido à minha formação acadêmica.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Mas não era suficiente. Ainda estava faltando alguma coisa.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Dei o nome de Escritório Materno à minha rotina home office, que inclui cuidar da casa e das crianças, levá-los à escola e aos compromissos médicos.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O Escritório Materno é a minha luta por espaço numa sociedade onde o trabalho dos homens são mais importantes do que os das suas mulheres, onde as mulheres encaram jornadas triplas, trabalham quando podem e se puderem.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Eu não posso pegar a minha mochila e ir para o escritório trabalhar, como faz o meu marido. Eu trabalho se as crianças estiverem dormindo, se estiverem na escola, se não tiverem médico. Mas, por quê? Porque o trabalho dele ainda é mais importante, e vai continuar sendo se eu não der a importância necessária ao meu trabalho.⠀⠀

O Escritório Materno é realização mas também é luta! É a minha independência. É meu jeito de mudar a vida que a sociedade determinou pro meu papel de mãe. É sobre não abrir mão do modelo de maternidade que acredito e, ao mesmo tempo ter realização profissional.

Eu precisava dar vazão ao meu feminismo e empoderar outras mulheres, principalmente outras mães, a realizarem os seus sonhos pessoais e profissionais, a serem independentes. A lutarem e ocuparem os seus espaços.

Eu acredito que juntas somos mais fortes e que podemos mudar as estatísticas. Acredito que, com o aumento no número de mulheres financeiramente independentes e empoderadas, vamos diminuir o número de feminicídios e violência doméstica.

Acredito que podemos trocar o medo de sermos demitidas após a licença maternidade pelo entusiasmo de trabalhar para enriquecimento próprio.

E eu não vou facilitar para os homens da minha vida, apesar de amá-los absurdamente!

Não vou me sobrecarregar de tarefas e deixar meu trabalho ou estudos em segundo plano. Estou me dando a prioridade que mereço e preciso para transformar a minha vida e quero te encorajar a fazer o mesmo!

Fonte: https://administradores.com.br/